Real Cores

Cronica: Querem falar por você!

Não é novidade falar que vivemos o apogeu da grande revolução nos meios de comunicação, na forma de nos expressar, na circulação de informação e também na maneira com que guardamos informação. A vida contemporânea mudou completamente a nossa maneira de se comunicar. A tecnologia, a serviço dessa mudança, nos dá a sensação de que nunca fomos tão livres para pensar e publicar nossas ideias. 



Resultado de imagem para foto pessoa tapando a boca
Por outro lado existem pessoas e instituições, a serviço do silêncio, que aprisionam o pensamento e fazem nossas ideias cativas de uma obrigação cega de reproduzir somente o que é aceito pelo cânone dos doutores da finalidade da existência... Daqueles que se intitulam guardiões do verdadeiro saber. 

Eles querem nos fazer acreditar que não podemos falar de política, de religião, de sexualidade... Podemos falar sobre e de qualquer assunto desde que seja da maneira que eles aprovariam... Caso contrário somos machistas, intolerantes, homofóbicos, iletrados, apolíticos, conservadores, contrário aos direitos humanos, totalitários e, a preferida, fascistas!

É incrível como essas pessoas e instituições prestam um desserviço à sociedade da informação tentando em vão controlar o que pode ser dito e de que maneira essas ideias podem circular. Ora, todos são livres para manifestar pensamentos, ideias, questionamentos... Mesmo que não possamos concordar e, por vezes, achar um absurdo certas falas, mas não podemos ceder aos meios que buscam criar um discurso único para a finalidade das coisas... Um discurso sonoramente religioso e dogmático, cheio de códigos prontos para aceitar ou reprovar o que é dito. Não trata apenas de discordar do que é dito, mas eles querem apagar a voz de quem é diferente. Querem silenciar tudo que não se parece com eles. Querem controlar os discursos. Querem instituir a ordem de quem pode falar e de quem deve permanecer no silêncio. Notem que, na totalidade, eles usam discursos de igualdade, liberdade e de altruísmo... 

Uma bandeira branca no mastro indicando paz e boas intenções, mas quando chegarem perto vão tirar a bandeira e te bater com mastro até você não sentir vontade de falar mais e ter seu discurso rotulado de proibições, higienizado por um politicamente correto e silenciado em sua vontade. Vão substituir sua fala por uma produzida no consenso deles. Vão usar de autoritarismo, intolerância e todo tipo de violência discursiva para te diminuir em seu desejo de falar. 

Fiquemos alertas! Afinal de contas quem tem razão?


Jorge Lima é Professor, Analista Político e Filosofo 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.