Real Cores

Gestores Goianos e um mar de obras inacabadas.

Há multo tempo existe a farra com o dinheiro do povo em obras superfaturadas, sem contra partidas ou projetos.


Alguns exemplos são O Anel Viário,  iniciado na década de 90 e até agora só a primeira parte foi feita, ligando nada a nada.  A obra foi paralisada porque a verba para a construção do Anel que tinha como objetivo desafogar o transito na BR 153 e abrir um caminho para cruzar a cidade em menos tempo.

O Governo Federal enviou os valores para a construção da primeira parte; O Governo Maguito Vilela deveria prestar contas do gasto para receber verbas referentes a próxima parte do Anel, que seria quatro ao todo.  Sem chances de prosseguir, a obra levou o dinheiro e deixou prejuízos.

A Marginal Botafogo é outro Elefante Branco. Além de ter que passar por reparos  constantes também começa e termina em lugar algum. O mesmo acontece com a Marginal Cascavel. 

Sem verbas para continuar extensão,  poucos quilômetros foram feitos, e sem dinheiro e duvidas  sobre o uso do  que chegou,  A Marginal Cascavel  também é um exemplo da gastança do dinheiro do contribuinte sem dó.


Macambira Anicuns, uma das maiores obras do município goiano virou abandono. Famílias foram retiradas do local, começaram os trabalhos de terraplanagem, limpeza, abertura de passagem e só. 


A empresa que venceu a licitação desistiu do projeto alegando que o valor cobrado não seria suficiente para custear a obra e queria receber mais através de aditivos no contrato. Como a obra era custeada com recursos do BIRD, Banco internacional, não havia esta possibilidade. 


E a obra aos poucos foi abandonada; hoje grande parte foi invadida por famílias de sem teto, destino de despejo de entulhos e devastação da mata, além da contaminação da nascente existente. 

Na Administração Paulo Garcia, a capital deixou de receber R$ 64.000,000,00 – sessenta e quatro milhões de reais que seriam destinados à  moradias. Como o município não deu a contra partida,  20%  do valor, a verba voltou para o Ministério das Cidades.    

Em Goiás, uma obra Estadual, na cidade de Anápolis, em 2011, quando inaugurada tinha 95% do trabalho concluído. hoje são apenas 90% e ainda continua abandonada. 


Por todo o Brasil são milhares de obras paralisadas,  seja por super faturamento, desvio de verbas e também falta de interesse do governo em dar continuidade.

Exemplo claríssimo é a Ferrovia Norte Sul. Iniciada em  1.986 a obra ainda não foi totalmente terminada.    Outras como a Transposição do Rio São Francisco e Usina de Belo monte e por ai vai. 

Lançar obras, gastar dinheiro do Cidadão e deixá-las abandonadas são as especialidades destes novos gestores que não tem compromisso com o cidadão e sim com a expressão "no meu governo."

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.