Real Cores

Juíza da nona seção do Tribunal de Milão, condena Robinho a 9 anos de prisão por violência sexual


Mariolina Panasiti, juíza da nona seção do Tribunal de Milão, condenou nesta quinta-feira (23/11) o atacante Robinho, do Atlético Mineiro, a nove anos de prisão por "violência sexual em grupo" contra uma jovem albanesa. 
 
O caso ocorreu em 22 de janeiro de 2013, quando o jogador defendia o Milan e a vítima tinha 22 anos. Segundo a investigação, o ato teve a participação de Robinho e de mais cinco pessoas.
 
 Em 2014, Robinho chegou a divulgar um vídeo chamando a acusação de "triste e mentirosa" e ameaçou processar a imprensa por publicar informações "mentirosas".
 
"Venho me pronunciar pela primeira e última vez sobre o assunto. Em respeito a minha família e a todas as pessoas que gostam de mim. Hoje acordei com uma notícia muito triste e mentirosa, que me deixou profundamente revoltado, sobre um site que eu me envolvi com uma garota que eu não sei quem é, não conheço, desconheço qualquer informação desse calão", disse o jogador na época. "Quem me conhece sabe da minha índole, sabe do meu caráter e, graças a Deus, tenho uma família abençoada, tenho esposa, tenho filhos e tenho milhões de crianças que se espelham em mim. Fiquei muito triste e muito revoltado com essa notícia."
 
Como a sentença foi dada em primeira instância, ainda cabe recurso.
 
Em 2009, Robinho foi acusado de estupro, quando atuava pelo Manchester City. Uma jovem o acusou de abuso numa boate em Leeds. Após investigação policial e apuração dos fatos, com ajuda de vídeos do local, foi comprovado que a jovem estava mentindo. (Agência Estado)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.