Real Cores

Casal e amigo são presos suspeitos de roubar casas e carros de luxo


Um dos jovens é de família rica e pratica crimes para 'aparecer', diz polícia. Trio chegou a roubar casa de juiz e abandoná-lo com a filha em lote baldio.

O jovem Rafael Santana de Almeida, de 23 anos, a namorada dele, Carla Alves, de 23, e um amigo do casal, Samuel Marques Fraga, de 25, foram presos nesta quinta-feira (5) suspeitos de roubar casas e carros de luxo em Goiânia. De acordo com a Polícia Civil, o trio agia sempre no Setor Jaó, conhecido por ter residências de alto padrão. No bairro, eles chegaram a roubar a casa de um juiz e depois abandonaram ele e a filha, de 9 anos, em um terreno baldio.

O grupo agia desde o final do ano passado. Um quarto suspeito, Everton Sena Guedes Lins, de 20 anos, está foragido. A escolha pelo setor também se dava pela facilidade de acesso à BR-153, que era a rota de fuga para Anápolis, a 55 km da capital, onde eles moram.

"Era uma quadrilha muito organizada e tinham uma maneira específica de agir. Eles rodavam pelas ruas do setor a espera de alguma vítima entrando ou saindo da casa que era o momento em que eles as rendiam", explica o delegado Maurício Massanobo, responsável pelo caso.

Ainda de acordo com o delegado, Rafael, um dos suspeitos, pertence a uma família de classe alta e cometia os crimes só para "aparecer". "Embora seja de uma família que tenha bastante posses, o Rafael tem diversas passagens policiais e é investigado por crimes de homicídio. A finalidade de participar do mundo do crime é só para ostentar e querer aparecer entre os criminosos", diz.

Violência
Massanobo explicou que o grupo cometia os crimes de forma violenta, sempre ameaçando as vítimas para obter mais bens, como joias e dinheiro. Foi assim que o grupo agiu no roubo à casa de um juiz, no último dia 4 de janeiro.

Segundo a polícia, a vítima foi rendida quando abriu o portão de casa. Os suspeitos levaram vários eletrodomésticos e até o cachorro de estimação da família. Depois, ainda deixaram o magistrado e a filha em um terreno de Aparecida de Goiânia. "Para garantir a impunidade e que a polícia não os perseguisse, eles levaram a vítima e sua filha a um lugar ermo e os abandonaram", revela.

A maioria dos objetos roubados não foi recuperada. Segundo a polícia, para evitar serem presos em flagrante, eles repassavam os produtos para receptadores rapidamente.
Os suspeitos serão autuados pelos crimes de associação criminosa e roubo.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.