Real Cores

Como fez nos protestos de 2013, a Globo tenta cooptar as ruas despertadas pela morte de Marielle

Sequestrando Marielle Franco

A Globo está fazendo uma cobertura extensa sobre uma pessoa que, viva, jamais foi lembrada pela emissora.

Desafio você a encontrar registros de entrevistas, análises ou mesas redondas com Marielle Franco.

Ou uma mísera menção a seu trabalho por parte dos jornalistas que ali militam.

Não tem nada, por razões óbvias.

Marielle, vereadora do Psol, defendia o oposto do que o grupo defende.

Seu ativismo pelos negros pobres das favelas, denunciando o abuso policial cotidiano, as chacinas diárias, simplesmente nunca coube na grade.

Mais recentemente, ela tornou-se crítica ferrenha da intervenção militar e relatora de uma comissão para acompanhar o Exército.

De uma hora para outra, gente como Merval Pereira, com sua dicção claudicante, passa a falar em “direitos humanos”, duas palavras que Merval não usa juntas, provavelmente, desde os bancos da escola nos anos 40.

Gerson Camarotti, com seus bastidores inúteis sobre um governo corrupto e golpista, fala em “atentado à democracia”.

Eliane Cantanhêde decreta que “o Brasil despertou”.

A Globo é cúmplice desse estado de coisas, inventou a farsa interventora com Temer e tenta agora sequestrar um cadáver e uma ideia que lhe são absolutamente antagônicos.

Foi assim também nos protestos de 2013. No início eram “vândalos” atentando contra o “estado de direito”, “vagabundos” etc.

Assim que o vento soprou para a direita, com as milícias tipo MBL tomando conta, a Globo acertou a rota e abraçou a causa.

Deu no que deu.

Está fazendo a mesma coisa com uma mulher cuja execução covarde fez despertar as ruas.

Infelizmente, Marielle não está aqui para dizer a esses abutres “tirem as mãos de mim”.


Mas nós estamos e isso precisa ficar claro antes que seja tarde.  
Por Kiko Nogueira

Um comentário:

  1. Amigão, se todos os mortos que a Globo divulga fossem fazer parte do seu casting, não seria uma emissora, e sim um reinado!!! É óbvio que a Globo divulga a morte por um caráter jornalístico, mas não precisa ficar acompanhando a vida de quem morreu...

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.