Real Cores

Rússia encontra materiais tóxicos Alemães e explosivos Britânicos na Síria


A Rússia informou nesta sexta-feira (20) que encontrou recipientes de cloro fabricados na Alemanha e explosivos fabricados em um laboratório da cidade inglesa de Salisbury, depois da libertação da cidade síria de Duma.
A informação foi dada pela porta-voz da chancelaria russa, Maria Zajarova.
Em 4 de março passado, em Salisbury, apareceram inconscientes o antigo duplo agente russo, Serguéi Skripal, e sua filha Júlia, os quais, segundo denúncias de Londres, foram alvo de um ataque químico por parte da Rússia.
A porta-voz disse também que o suposto caso de ataque com armas químicas contra a população em Duma, na região de Ghouta Oriental é apenas uma grosseira simulação, empregada para justificar um ataque com mais de 100 mísseis contra um governo soberano como é o da Síria, declarou.
A única "prova" das potências ocidentais, como os Estados Unidos, a França e o Reino Unido para agredir a Síria foi um vídeo difundido nas redes sociais pelo grupo Capacetes Brancos, no qual aparecem sírios que supostamente foram vítimas do uso de substâncias tóxicas.
O correspondente do canal Rússia 1 na Síria, Evgueni Paduvni, encontrou uma das crianças que aparecem no vídeo produzido por Capacetes Brancos.
O menor Hassan Diab narra como lhe prometeram guloseimas e outros presentes em troca de ser preparado para aparecer diante das câmeras como se estivesse com problemas respiratórios, decorrentes dos efeitos de uma arma química.
Estávamos em um porão, lembra o menino sírio. Minha mãe me disse que não tinha comida em casa e que eu só comeria no dia seguinte. Escutamos uns gritos na rua pedindo para irmos ao hospital, disse.
Logo que chegamos, notei que misturavam alguma coisa na água e me deitaram na cama junto a outras pessoas, diz a porta-voz da chancelaria russa citando a narrativa do garoto.
O pai do menino informou que soube em seu local de trabalho que seu filho estava no hospital e ao chegar lá encontrou toda a família.
Ele conta que os elementos armados deram alimentos como prêmio pela participação na filmagem e devolveram todos a suas casas, assegurando que seu filho não teve os supostos problemas respiratórios, diz Zajarova.
Todas essas informações foram enviadas à Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ), cujos inspetores já estão trabalhando em Duma. Contudo, qualquer que seja o veredito desse organismo, o Ocidente já decidiu quem é o culpado, que já foi objeto de punição, afirmou a porta-voz russa.
No último sábado (14), sem mandato do Conselho de Segurança da ONU, e sem esperar a inspeção da OPAQ ou mostrar provas concretas, forças estadunidenses, francesas e britânicas atacaram bases aéreas, postos de comando e instalações científicas sírias.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.