Real Cores

Trio é preso suspeito de espancar homem até a morte em distribuidora de bebidas.


Três pessoas foram presas suspeitas de assassinar André Rodrigues de Souza, de 44 anos, em uma distribuidora de bebidas no Setor Novo Horizonte, região Sudoeste da capital. Segundo a Polícia Civil, Bruno Henrique Teixeira dos Santos, conhecido como “Magrelo”, Fabian Carvalho Cunha, vulgo “Macarrão”, ambos de 27 anos, e Murilo Martins Bittencourt, o “Índio”, de 30 anos, teriam cometido o homicídio devido a uma dívida de droga.

Conforme o delegado da Delegacia de Investigações de Homicídios (DIH), Danillo Proto, os suspeitos confessaram o crime e revelaram que a vítima estava com um débito de R$ 20 proveniente do tráfico. O crime aconteceu em junho de 2017. “O circuito de segurança da distribuidora de bebidas nos ajudou a identificar os suspeitos e verificamos o teor de brutalidade nas agressões”, destaca.

Segundo Proto, André chegou, por volta das 4h30, em frente à distribuidora e conversou com Angêlo Castro Arruda e Fabian, ambos traficantes da região. Murilo chega logo após e começa a agredir à vitima. Posteriormente, Bruno e Gernilson Alves dos Santos também desfere golpes. A vítima foi atingida por vários socos, chutes e até com um capacete, principalmente na cabeça.

“Mesmo depois de toda agressão, André teve a garganta perfurada com um garrafa de vidro quebrada. Ou seja, foi covardemente agredida sem nenhuma tentativa de defesa”, conta.

O delegado aponta que as prisões aconteceram nos setores Sudoeste e Oeste. Gernilson ainda encontra-se foragido e Angêlo foi assassinado em janeiro deste ano. Todos os envolvidos já possuíam passagens pela polícia por roubo, furto e tráfico de drogas.

Os presos responderão por homicídio triplamente qualificado e, se forem condenados, poderão pegar até 30 anos de prisão.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.