Real Cores

Povão atropela o golpe e os “estrategistas” e só quer saber de Lula


A pesquisa CNT/MDA divulgada nesta segunda (14) é um rolo compressor. O povo quer Lula e mais ninguém. O golpe fracassou em seu projeto de uma nova hegemonia e os estrategistas do “realismo” no campo progressista estão sendo atropelados pelo povo. Os números desmentem todas as projeções que se fizeram sobre a queda de Lula nas preferências de voto depois de sua prisão. Disseram que ele estaria liquidado como líder político quando foi acusado no caso do apartamento; depois, quando foi condenado por Moro; mais uma vez quando o TRF-4 confirmou e ampliou a sentença; quando foi preso, comemoraram sua “morte” política; declararam-no fora do páreo depois que o STF recusou dos recursos de sua defesa. Foram mais de dois anos de linchamento nas mídias de massa sem direito a defesa. Nada. O homem é amado pelo povo.

Lula tem quase o dobro de Bolsonaro, o segundo colocado: 32,4% a 16,7%. Todos os demais candidatos comem poeira; nenhum deles chega perto de 10% das intenções de voto.

No campo da direita, Marina tem 7,6%, Alckmin despencou de 6,4 para 4%, Álvaro Dias está com 2,5% e os demais sequer chegam a 1% -Temer, o odiado, tem 0,95. Apenas juntando todo o rebotalho da direita, de Marina para baixo, eles conseguem um pouco mais que meio Lula.

No campo progressista, Lula ocupa todo o espaço. Ciro tem 5,4%, Boulos e Manuela têm 0,5% cada um.

Nas projeções de segundo turno, o país é de Lula. Veja em números absolutos os cenários:

Lula 63,8% x 36,2% Bolsonaro

Lula 67,9% x 32,1% Marina

Lula 69,6% x 30,4% Alckmin

Lula 77,9% x 22,1% Meirelles

Lula 85,1% x 14,9% Temer

O povo só quer Lula e mais ninguém. Com ele candidato, nulos e indecisos somam 25%. Sem ele, são quase 65 milhões de eleitores e eleitoras, incríveis 45%.

As pessoas não engoliram a farsa da Lava Jato e nem a conversa fiada das elites de que o Judiciário estaria “passando o país a limpo”: mais de 90% consideram que a Justiça trata as pessoas de maneira desigual; 89% dizem que o Judiciário é pouco confiável ou “nada confiável”; menos de 9% avaliam o Judiciário como ótimo ou bom. Registre-se: esta é a opinião das pessoas sobre o Judiciário que condenou Lula.

Incrível a resiliência do povão.

Quais me parecem as duas indicações mais preciosas da pesquisa?
O golpe de Estado deu certo como operação de guerra; mas é um fiasco como tentativa de conquistar hegemonia (poder/força mais liderança/confiança) no país.
Boa parte dos estrategistas do campo progressista precisa olhar menos para seus cálculos e mais para a direção apontada pelo povo. A lição vale para mim. Passei os últimos tempos considerando que o “realismo” indicaria a necessidade de uma estratégia alternativa à candidatura de Lula, pois ela está bloqueada na esfera jurídica do golpe de 2015/16. No entanto, o povão está dizendo a todos nós, estrategistas, pesquisa após pesquisa: na vida cotidiana, como solução para nossos problemas, como saída para o país nós queremos Lula e rejeitamos os seus cálculos de gabinete.

Nas últimas semanas, Ciro Gomes foi anunciado em prosa e verso como a alternativa “realista” do campo progressista. Ele foi manchete mesmo em segmentos da mídia de massa conservadora, que sonha em atraí-lo para uma composição à direita. Toda essa exposição resultou em que? Ciro está ali, com 5,4% vizinho de Alckmin.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.