Real Cores

Para o vereador e pré-candidato a Deputado Estadual, Felizberto Tavares, o Governo do Estado poderá dar o calote de 7 meses nos professores.



O Vereador Felizberto Tavares, comentou o fato de o Governo do Estado de Goiás, somente agora, 7 meses depois, resolver pagar o Piso Nacional dos professores aos trabalhadores da rede estadual de ensino. 

Tavares contestou o fato de que  o  novo valor, de R$ 2.455,00, ser pago somente  na folha do mês de agosto para os cerca de  20 mil professores da Rede Estadual, quando o Piso deveria estar sendo pago desde o mês de janeiro quando entrou em vigor.

O Vereador também questionou se a Secretaria de Educação do Estado de Goiás irá pagar a diferença de forma retroativa, uma vez que, apenas 7 meses após a entrada em vigor do Piso,  o Governo de Goiás resolveu cumprir a lei.

Para o Vereador Felizberto Tavares, o Governo cometeu enorme injustiça ao negar o benefício, que é de direito,  concedido em janeiro deste ano, provocando imensa insatisfação na classe da Educação em Goiás. 

"Além de outros temas importantes, e que dizem respeito aos diretos dos servidores públicos do Município e também do Estado, jamais deixarei de gritar em nome dos trabalhadores especialmente da  educação, seja no a
âmbito municipal ou estadual."  

"Se a Assembleia Legislativa se dobra diante do poder do Governo do Estado, eu, na condição de cidadão e também de vereador,  não vou me calar." argumentou Tavares. 

"Em Goiânia, o piso para professores da rede municipal de ensino, com 40 horas semanais,  já  é de R$ 2.465,51, acima do valor que será pago aos professores da Rede Estadual de Ensino a partir de agosto deste ano." chamou a atenção.    

Finalizando, Felizberto Tavares questionou "se o Governo do Estado vai conceder o justo direito aos trabalhadores em educação de receber o piso na sua totalidade e também a diferença retroativa a janeiro,  ou irá negar mais uma vez?"  

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.