Real Cores

Vereador e Pré Candidato a Deputado Estadual, Felizberto Tavares, crítica programa de Segurança Pública do Estado


O vereador e pré candidato a Deputado Estadual, Felizberto Tavares, criticou a forma como o Governo de Goiás tem tratado as forças Políciais do Estado de Goiás, principalmente pela remuneração dos políciais.

O questionamento foi feito durante entrevista concedida ao Jornalista André Marques, no Jornal Argumento, exibido na TV Capital Canal 32.1 e também na Net Canal 23.

Tavares, que também é Policial Rodoviário Federal, em licença, afirmou que um dos projetos que pretende defender caso seja eleito é a equiparação salarial das classes, isto porque "Além de ter salários diferentes, os policiais efetuam o mesmo trabalho de oferecer segurança pública ao cidadão. "Não dá para aceitar esta forma que o governo trata um dos principais pilares do Estado que é a segurança pública." disse o Vereador Felizberto Tavares.

O Vereador falou também sobre o apoio que deu para o armamento dos Guardas Municipais, situação que gerou muita polêmica.  Tavarez afirmou que todo Guarda Municipal,  para ter o porte de arma, passou por um rigoroso treinamento, inclusive ministrado por profissionais que treinam os Políciais Civil e Militar. Para ele "é preciso combater o crime que assusta o cidadão e que toda as forças devem ser utilizadas neste sentido."

Ele ainda defendeu investimento no trabalho de inteligência das policias e uso correto, e não eleitoreiro, dos valores que são aplicados em segurança pública. Como exemplo, o vereador falou sobre a situação vivida no Rio de Janeiro, que de acordo com ele, milhões de reais foram investidos na intervenção no Estado e o número de crimes e mortes fizeram foi aumentar. "Não adianta gastar recursos dos contribuintes sem uma ação de planejamento. O que está acontecendo no Rio de Janeiro prova o que estou dizendo.

Durante a entrevista, o Vereador revelou "que uma das cidades mais violentas do Brasil, está no Estado de Goiás, segundo o Ranking de violência, publicado recentemente, e nada está sendo feito para diminuir a violência no Estado. Não por culpa dos políciais,  mas sim por uma política equivocada que acaba punindo os políciais também." ressaltou. A morosidade do poder judiciário também foi destacada pelo vereador durante a entrevista.

Outro ponto polêmico abordado na entrevista por Tavarez é a redução da maior idade. "ecentemente um menor de 13 anos de idade, matou uma advogada e foi internado por um período de três anos, isto se não apresentar bom comportamento. O autor do crime já tinha ficha extensa na polícia e estas passagens não agravaram a detenção do menor." afirmou.

A participação do Estado na prevenção e diminuição do aumento de crianças que entram para o mundo do crime foi abordada também na entrevista. "O Governo de Goiás não oferece condições para que as crianças possam ter atividades extras curriculares e também programas sociais de inserção, de fundamental importância na vida das famílias mais carentes." lamentou. "O Governo faz muita propaganda mas na prática pouco ou quase nada é feito. Temos que parar de brincar com a segurança pública e adotar medidas concretas.

A integra da entrevista está na página do Jornal Argumento, onde o Vereador falou também sobre o trabalho que desempenha na Câmara Municipal de Goiânia. Nela Tavares diz que faz parte da base de sustentação do Prefeito Iris Rezende, mas que isto não significa questionar os atos praticados pelo gestor. "Mesmo sendo da base do Prefeito de Goiânia, fui um dos mais incisivos questionadores da CEI da Saúde. "Tenho independência para apoiar ou questionar ações do executivo. Finalizou.  


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.