Real Cores

Marina critica os grandes partidos, mas coliga com eles nos estados


Embora a pré-candidata à presidência da república diga que são "o PT, o PMDB, o PSDB, o DEM e seus satélites que levaram o Brasil para o fundo do poço" e que "eles não são a solução”, seu partido, a Rede, apoia PSDB e DEM em alguns estados. No Rio Grande do Sul, a Rede apoiará o candidato tucano ao governo do estado, Eduardo Leite — e chegou negociar apoio com o atual governador, José Ivo Sartori (MDB). No Amapá, o senador Randolfe Rodrigues dividirá palanque com o colega de Congresso Davi Alcolumbre, do DEM.
"Acostumada a criticar adversários por alianças pragmáticas e o que chama de "velha política", a ex-senadora não tem encontrado eco em seu próprio partido, a Rede. Dos partidos citados por Marina no vídeo, dois se aliarão à sigla da presidenciável nos estados. Os outros dois foram cogitados como alianças que não se desenvolveram. 
(...)
MDB e DEM têm força na bancada ruralista, que patrocina projetos como a flexibilização do código florestal, ou o que facilita o registro de agrotóxicos. Esse último, condenado pela Rede, foi aprovado neste ano em comissão presidida por uma parlamentar do DEM, Tereza Cristina. A lista de alianças regionais conta ainda com o PSC do líder do governo Temer no Congresso, André Moura (SE), e o Patriota, que tentou abrigar a candidatura de Jair Bolsonaro. Marina também subirá no palanque do nanico PMN, que deve transitar livremente pelo espectro político: em Minas, deve apoiar o tucano Antonio Anastasia e, no PR, a candidata do PP, Cida Borghetti."

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.