Real Cores

Minas denuncia bloqueio de R$ 360 milhões pelo governo Temer


O governo de Minas Gerais, comandado por Fernando Pimentel (PT), denunciou nesta segunda-feira, 30, que o governo de Michel Temer está bloqueando R$ 360 milhões em recursos do estado que entram em contas do Banco do Brasil. 
Em nota, a secretaria de Governo de Minas diz que o bloqueio acontece desde 17 de julho e que os recursos são destinados, entre outros compromissos, ao pagamento de servidores públicos. 
"O pagamento dos salários dos servidores neste mês não foi ainda concluído unicamente por causa desses bloqueios", diz o governo mineiro. 
Leia, abaixo, a nota na íntegra:
"O governo federal insiste em prejudicar Minas Gerais, sua população e milhares de servidores públicos estaduais. Mais uma vez, a União está bloqueando recursos do Estado destinados ao pagamento de muitos compromissos, inclusive os salários dos nossos servidores.
Desde o dia 17 de julho último, o governo federal vem bloqueando os recursos do Governo de Minas que entram pela conta do Banco do Brasil. Os bloqueios já superam R$ 360 milhões até a presente data.
O pagamento dos salários dos servidores neste mês não foi ainda concluído unicamente por causa desses bloqueios. Este valor bloqueado pela União seria suficiente para quitar a segunda parcela dos salários de todos os servidores ativos, inativos e pensionistas, na data previamente estabelecida (25/7), evitando os atrasos ocorridos.
Minas vem fazendo todo o esforço para manter os pagamentos da enorme dívida contraída junto ao Banco do Brasil e à União pelas gestões anteriores. Tem sido assim desde 2015. Contudo, surpreendentemente no dia 17 passado os bloqueios começaram.
Não bastasse a atual gestão em Minas Gerais ter que arcar com essas dívidas e ainda um déficit de R$ 8 bilhões, o governo federal, além de não pagar o que é devido ao Estado – como o ressarcimento de cerca de R$ 120 bilhões pelas isenções de impostos da Lei Kandir—, age ardilosamente para prejudicar o povo mineiro.
Atenciosamente,
Secretaria de Estado de Governo de Minas Gerais"

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.