Real Cores

Igreja Católica rejeita Caiado e sinaliza apoio a Eliton


A Igreja Católica dá sinais mais do que evidentes de que rejeita o senador Ronaldo Caiado (DEM) e de que vai trabalhar contra a eleição dele. Na principal missa da romaria do Muquém, realizada na última quarta-feira com a presença dos candidatos a governador, o bispo da Diocese de Uruaçu, Dom Messias do Reis Silveira, deu mais um aceno neste sentido ao defender a reeleição de “bons gestores - referência mais do que direta ao governador José Eliton (PSDB).
A igreja rejeita Caiado por causa do histórico de ligação umbilical do ruralista com movimentos radicais, notadamente a União Democrática Ruralista (UDR), que fundou e que em passado não tão distante teria sido responsável por atos de violência contra os pequenos agricultores.
Caiado representa a antítese da luta, das ideias e das figuras de representantes muito queridos da Igreja Católica, como finado Dom Tomás Balduíno, bispo emérito da Diocese de Goiás, um dos fundadores da Pastoral da Terra; e Dom Pedro Casaldáliga, o bispo do povo, de São Félix do Araguaia.
Caiado é a representação viva da violência e do coronelismo, assinatura indelével de sua família; representa o oposto de tudo aquilo que a Igreja Católica prega nas dioceses do interior: a tolerância, a compaixão, a serenidade; expressões utilizadas na homilia de Muquém pelo bispo Dom Messias, da diocese de Uruaçu.
Não por acaso todo o alto clero reuniu-se recentemente para uma risonha confraternização com Zé Eliton no Palácio das Esmeraldas, pois a reeleição do governador, defendida pelo pelo bispo de Uruaçu, é a trincheira cristã contra Caiado e tudo de ruim que simboliza.
Outra razão para a Igreja Católica rejeitar Caiado é a aproximação exagerada dele com os evangélicos. O suplente do senador é Luiz Carlos do Carmo, irmão do pastor Oídes do Carmo, um dos mais influentes representantes da Assembleia de Deus no Brasil. Caiado inclusive sondou Oídes para ser seu vice e dedicou parte importante da sua agenda pública nos últimos meses a participar de cultos, o que incomodou a cúpula católica.

Um comentário:

  1. Caiado é apoiado pelos católicos e evangélicos, justamente por sua postura durante o impeachment da estocadora de vento que destruiu o Brasil. Além disso, tanto o PT quanto a teologia da libertação são exacrados pela população por destruirem o Brasil e implantarem o comunismo bolivariano na américa latina.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.