Real Cores

Equipe de Daniel Vilella usa estelionatário para dizer que candidato é ficha limpa




Fábio Cristiano Mota Estelionatário 



Chamou a atenção do Jornal Argumento um vídeo publicado no programa eleitoral do candidato Daniel Vilella, onde aparece, além do prefeito de Goiânia, Iris Rezende, Maguito Vilella e outros caciques do MDB, ressaltando as qualidades de Daniel. 


No vídeo aparecia um dos membros da campanha atestando que Daniel é ficha limpa. Estranhamente, no dia seguinte,  a pessoa foi substituída, ou seja retirada do vídeo. 


O Jornal Argumento, que acompanha todos os programas, quis saber o porque da substituição tão rápida e descobriu que quem diz que Daniel Vilella é ficha limpa, trata-se de Fábio Cristiano Mota, um estelionatário condenado pela justiça e que já cumpriu parte da pena em um presídio do interior de Goiás e esta em liberdade   aguardando   recurso para não cumprir o resto da pena. 

Segundo fontes, tão logo o vídeo foi exibido, várias pessoas ligaram para o diretório do MDB dizendo ser vitima de Fábio pela mesma prática de estelionato. 

Tão logo a reação das pessoas e também de Iris e Maguito que não aceitaram a participação de Fábio, um corre corre tomou conta da produtora. 

Vale lembrar que todos os partidos utilizam membros com idoneidade elevada para falar que o candidato é ficha limpa. 
O Jornal Argumento entrou em contato com a produtora que disse nada saber sobre o caso. Mas uma fonte da equipe de Daniel Vilella disse que Fábio faz parte da campanha, "inclusive comandando carreatas e eventos de Daniel no interior do Estado." A mesma fonte, disse ainda que Fábio continua praticando o mesmo  crime de estelionato, usando o nome de Daniel e também do candidato a deputado Federal João Reis, pai de Cristiano Araújo."  


Abaixo, o Jornal Argumento publica matérias, reportando a prisão de Fábio, o  que comprova a veracidade dos fatos e o erro da equipe de Daniel Vilella. 



Dupla é presa em Goiatuba por “vender” vagas de emprego

205

Mirlen Helena Rosa  e Fábio Cristiano Mota, 
mirlen e fabio






A Delegacia de Polícia Civil de Goiatuba cumpriu, nessa terça-feira (7), mandado de prisão preventiva expedido em desfavor de Mirlen Helena Rosa, de 40 anos, e Fábio Cristiano Mota, de 35 anos, presos pela prática do crime de estelionato. A mulher foi presa em Goiatuba e o comparsa, em Goiânia.
De acordo com as investigações, Mirlen Helena e Fábio Cristiano induziram ao erro as vítimas J.J.P., I.A.P., J.H.L.S., e E.C.S., obtendo para eles vantagem ilícita, consistente no recebimento de quantias pagas pelas vítimas com promessa de emprego.
Mirlen Helena fazia contato com as vítimas, prometendo-lhes emprego em algumas repartições públicas (prefeitura, hospital, Vapt-Vupt, Sefaz, entre outros), exigindo das vítimas o pagamento de quantias que variavam entre R$ 1.500 a R$ 1.900. Mirlen alegava que os valores seriam utilizados para regularizar a documentação para o contrato de emprego.
As vítimas, por sua vez, realizavam os depósitos na conta de Fábio Cristiano ou pagavam pessoalmente para Mirlen Helena. Os autores asseguravam às vítimas que seus empregos estavam garantidos, e que apenas estavam aguardando a publicação de seus respectivos nomes no Diário Oficial, o que nunca ocorreu.
Após investigação e apuração dos fatos e autoria, foi ofertado ao judiciário local representação pela prisão preventiva dos autores, a qual foi decretada. Mirlen Helena e Fábio Cristiano foram indiciados pelo crime de estelionato (artigo 171 do Código Penal Brasileiro). A polícia acredita que outras pessoas podem ter sido vítimas do golpe.
                                                                                                               
GOIATUBA - 

Polícia Civil prende dupla por estelionato

 
A Delegacia de Polícia Civil de Goiatuba cumpriu nesta terça-feira, 07, Mandado de Prisão Preventiva expedido em desfavor de Mirlen Helena Rosa, de 40 anos e Fábio Cristiano Mota, de 35 anos, presos pela prática do crime de estelionato, sendo Mirlen Helena presa em Goiatuba e Fábio Cristiano preso em Goiânia.
Mirlen Helena e Fábio Cristiano induziram em erro as vítimas J.J.P., I.A.P., J.H.L.S., e E.C.S., obtendo para eles vantagem ilícita, consistente no recebimento de quantias pagas pelas vítimas com promessa de emprego. Ela era quem fazia o contato com as vítimas, prometendo-lhes emprego em algumas repartições públicas (Prefeitura, Hospital, Vapt-Vupt, SEFAZ etc.), sendo que Mirlen exigia das vítimas o pagamento de quantias que variavam entre 1.500,00 a 1.900,00, sob alegação de que os valores seriam utilizados para regularizar a documentação para o contrato de emprego. As vítimas realizavam os depósitos na conta de Fábio Cristiano Mota ou pagavam pessoalmente para Mirlen Helena.
Os autores asseguravam as vítimas que seus empregos estavam garantidos, e que apenas estavam aguardando a publicação de seus respectivos nomes no diário oficial, o que nunca ocorreu.
Após investigação e apuração dos fatos e autoria, foi ofertado ao judiciário local representação pela prisão preventiva dos autores, a qual foi decretada, sendo cumprida nesta terça-feira. Mirlen Helena e Fábio Cristiano foram indiciados pelo crime de estelionato (artigo 171 do Código Penal Brasileiro), cujas penas pode ser de 01 a 05 anos de reclusão por quatro vezes, podendo chegar de 04 a 20 anos.
Há informação que há outras vítimas do mesmo crime, caso haja interesse em denunciar os fatos a Polícia Civil pede para que as vítimas compareçam na delegacia para o devido registro. Após procedimentos, os autuados foram recolhidos na Unidade Prisional de Goiatuba, onde estão à disposição da Justiça.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.