Real Cores

CRIME BÁRBARO: POLICIA PRENDE SUSPEITOS DE MATAREM UMA PESSOA E DEIXAR A CABEÇA NA CALÇADA DE UM SHOPPING


Após 22 dias de investigação, a Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) em conjunto com a Secretaria de Segurança Pública do Estado de Goiás (SSP-GO) apresentou na tarde desta terça-feira (5) os suspeitos de matar e cortar a cabeça de Erivaldo Ferreira da Rocha, e abandoná-la em frente ao Shopping Passeio das Águas, em Goiânia, no último dia 13 de janeiro de 2019
Conforme as informações da polícia, seis pessoas participaram do crime e um dos suspeitos foi morto em janeiro. Entres os envolvidos no assassinato de Erivaldo estão os irmãos Matheus Máximo e Maurício Máximo, presos no dia 3 de fevereiro de 2019, e os irmãos Edson Dener e Denis Peterson, inclusive com Denis detido no Presídio Odenir Guimarães, em Aparecida de Goiânia e Luciano M. Fonseca que foi preso pela polícia na manhã desta terça-feira.


A PCGO afirmou que todos os envolvidos tem passagem pela polícia e a vítima não possuía uma ficha criminal. Segundo a polícia, a morte de Erivaldo foi encomendada, pelo envolvimento do seu irmão com o Primeiro Comando da Capital (PCC), diferente das que o suspeitos fazem parte Comando Vermelho (CV).


Cabeça foi decepada do corpo com um Serrote
De acordo com a polícia a disputa entre as duas facções seria pelo comando do tráfico de drogas na região. A PCGO afirmou que Luciano preso na manhã desta terça-feira foi o responsável por executar Erivaldo.
Conforme as informações da polícia além de executar a vítima, Luciano cortou a cabeça de Erivaldo e usou um Serrote para separar a cabeça do corpo da vítima. Os suspeitos do crime foram encaminhados para a Casa de Prisão Provisória de Aparecida de Goiânia e ficam a disposição da justiça.


Relembre o caso
A cabeça de Erivaldo foi encontrada no domingo pela manhã na calçada do Shopping Passeio das Águas, na Avenida Perimentral Norte, em Goiânia. Um homem que passava pela região, encontrou a cabeça que estava marcada com um código de gangue e acionou a Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO). Após encontrar a cabeça humana, a PCGO começou a investigar o caso e tentar encontrar o corpo da vítima.
O corpo de Erivaldo foi encontrado quatro dias depois, boiando no Rio Meia Ponte, no Setor Negrão de Lima, em Goiânia. Moradores da região encontraram o cadáver sem cabeça e chamaram o Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO) para fazer a remoção do corpo da água, que pertencia a Erivaldo.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.