Real Cores

Bolsonaro e Rede Globo, quem vence?







Desde o momento em que  a Rede Globo viu em Bolsonaro a real chance de vencer as eleições, começou a destilar todo o veneno contra o Presidente. Trouxe de volta aquela situação com a deputada Maria do Rosário que Bolsonaro  afirmado que “ela é  tão feia que não merecia sem ser estuprada.”


Em entrevista, Bolsonaro avisou que iria acabar com o  Jornal Folha de São Paulo, por ser folhetim tucano.  Assim, foi durante toda a campanha. O Presidente adotou as redes sociais para não permitir ser o alvo da Rede Globo, Folha de São Paulo e também a revista Veja,  que claramente é anti petista e incorporou Bolsonaro na lista  dos “sem chances de vencer a disputa pelo Planalto.”

Assim, em todas as eleições o “poder da mídia” mais exatamente Globo,   foi decisivo. Collor de Melo, foi o personagem de  Lima Duarte,  uma figura inexpressiva que passou a ser chamado de “O Salvador da Pátria ” fazendo  alusão a carreira política de Collor, apelidado pela própria  Rede Globo de  o “Caçador de marajás.”

O debate editado entre Lula e Collor, que mostrava as coisas boas de Collor e colocava Lula  como um comunista que acabaria com a democracia, não tinha compromisso com os mais carentes e dono também de um discurso raivoso e intolerante. O erro foi tão grave que até hoje  então Todo Poderoso da Globo, Bonner, ainda diz que foi o maior erro dele nas disputas a Presidente.

Muito Generoso, Fernando Henrique Cardoso, gastava milhões de reais em campanhas nada educativas e também de multinacionais, como Petrobras, sem concorrência, pois era a única que explorava o Petróleo no Brasil e também a, A VALLE,  outra sem concorrência e  que Patrocinavam tudo o que a Rede Globo queria.  O Governo FHC, através do extinto programa PROER, “doou” recurso público a sete bancos privados que estariam a beira de quebrar. Foram mais de R$  112  bilhões de dólares injetados nas instituições  antes de serem vendidas, um exemplo foi o Banestado vendido por R$ 1,00 um real.  E é claro que a Rede Globo também foi beneficiada  com o  programa de recuperação.



Lula eleito, já mostrou para a Globo seu objetivo, fazer com que a Rede Record tomasse a audiência da Globo. Isto ficou tão claro que na inauguração da Record News,  Lula disse que a emissora investiu mais de 80 milhões de dólares na construção do Canal  em rede Fechada, ou seja, só para assinantes.   Tal anunciou motivou uma ação do Ministério Publico Federal, por ver ilação entre o publico e o privado.


Dilma, eleita presidente,  mas sem um perfil ligado as Emissoras de Bispo Edir Macedo, ficou a deriva e muito negociou para ter a Globo de volta. Até o impeachment de Dilma foi negociado  pela Globo e o Ex Presidente Michel Temer.  Estranhamente, depois que assumiu, Temer passou a ser denunciado por patrocinar todos os eventos do grupo de Roberto Marinho.       

O GOLPE DE TEMER

Como não podia injetar mais dinheiro diretamente na Rede Globo,  surgiu um patrocínio cruzado. Os bancos Santander e Itaú passaram a ser os maiores anunciantes da Globo.  Não custa lembrar os comerciais das duas instituições patrocinando desde programas infantis até os mais caros anúncios.  Bastava  assistir a Globo para atestar a veracidade de nossa fonte em Brasília.  Também é só assistir meia hora de programa para  ver que os dois Bancos não patrocinam  mais nada na Globo.  

Bolsonaro é o primeiro presidente,  que venceu uma eleição usando as redes sociais e sem o apoio da   Rede Globo.  

Chegou a vez de Bolsonaro. Com discurso de que iria rever todos os patrocínios  do  Governo, Bolsonaro virou inimigo público numero um. Bolsonaro foi o primeiro  Presidente a não se vender e ceder para a Rede Globo.

Assim, em todos os telejornais,  tanto da Globo canal aberto,  quanto na Globo News canal fechado  e só para  assinantes, que Bolsonaro é contestado, cobrado e exposto em todas as denuncias  que fizeram  dois ministros Bolsonaro pedirem afastamento. 




















André Marques
Diretor Geral 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.